O perfil de José Serra, novo Ministro das Relações Exteriores

A posse do presidente em exercício Michel Temer, após a suspensão da presidente eleita Dilma Rousseff, representou mudanças na organização e na liderança do governo federal, inclusive para o Itamaraty. O senador José Serra assumiu a pasta de Relações Exteriores após a exoneração do ministro Mauro Vieira, indicado por Dilma. A nomeação de Serra para o MRE difere da prática recente do ministério, já que o novo ministro não faz parte do corpo diplomático brasileiro, enquanto os quatro últimos ministros da pasta eram diplomatas de carreira.

Jose-Serra-Foto-George-Gianni-PSDB-

Foto: George Gianni/PSDB

Devido à sua longa carreira política, o atual chanceler é conhecido da população brasileira, tendo sido deputado federal pelo estado de São Paulo (1987-1995), Ministro do Planejamento (1995-1996), Ministro da Saúde (1998-2002), prefeito de São Paulo (2005-2006), governador de São Paulo (2007-2010) e duas vezes senador pelo mesmo estado (1995-2003; 2015-atual). Pelo seu perfil público, algumas posições do novo ministro em relação à política externa são conhecidas e podem impactar a atuação do Itamaraty daqui para a frente.

Um dos principais temas abordados pelo ministro José Serra quando se trata de política externa é o comércio exterior. Defensor de políticas mais liberais, Serra enfatiza o papel da liberalização dos fluxos internacionais, por meio de acordos de livre comércio, para o desenvolvimento do país. Nessa seara, ele critica a proeminência dada ao Mercosul na inserção internacional brasileira, já que vê como um empecilho para uma atuação mais autônoma do Brasil. Dinamizar o bloco regional foi uma das propostas defendidas pelo ministro durante sua campanha para a presidência em 2010.

O princípio da autodeterminação dos povos também foi recorrentemente abordado por Serra ao analisar as relações bilaterais brasileiras. O novo chanceler defende uma inserção no sistema internacional sem pendores ideológicos. Nesse quesito, Serra costuma falar a favor do pragmatismo das relações externas do Brasil, promovendo relações internacionais que avancem o interesse nacional. A partir dessa lógica, o ministro já declarou intenção de repensar a relação com países de menor projeção internacional, por meio de, por exemplo, fechamento de embaixadas.

Dois regimes internacionais foram objeto, em específico, de pronunciamentos anteriores do ministro Serra: meio ambiente e direitos humanos. Serra defendeu a compatibilidade da proteção ao meio ambiente e o desenvolvimento, afirmando que a economia verde é uma possibilidade de crescimento econômico. Na temática dos direitos humanos, Serra relacionou a defesa desses princípios com o fortalecimento da democracia e do Estado democrático de direito.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s