Desafio de Espanhol: Futuro Perfecto

¡Hola! Volvimos hoy con preguntas sobre el Futuro Perfecto. ¿Sabes cómo conjurgarlo? ¡Inténtalo!

Verbos regulares. Conjugar el verbo entre paréntesis en futuro perfecto.

1. Si no te he llamado a las diez será seguramente porque (tener/yo) algún impedimento.
2. Si no se han puesto en contacto con vosotros es porque no (llegar/ellas)todavía.
3. Seguramente la función (acabar).
4. Para entonces ya (salir/tú)del trabajo.
5. Creo que esta vez todos nosotros (aprender)la lección.      

Verbos irregulares. Conjugar el verbo entre paréntesis en futuro perfecto.

1. Me imagino que tu hermano lo (decir) en broma.
2. Supongo que ya (poner/tú) la mesa.
3. ¿No (abrir/vosotros) esa caja, verdad?
4. Para cuando lleguéis ya (hacer/nosotros)  todo el trabajo.
5. Aún no (descubrir/ellos)cómo llegar hasta aquí.

Todo tipo de verbos. Conjugar el verbo entre paréntesis en futuro perfecto.

1. Eso no puede ser. ¿No (nosotros/equivocarse) con los cálculos?
2. Para cuando acabe la faena, tú ya (preparar)la comida.
3. ¿Quién (escribir)semejante tontería?
4. ¡A saber dónde os (vosotros/meterse)!
5. Luis y Carla no están en casa. (salir/ellos) a dar una vuelta.

Papo Sapiente com Marianna Goulart, aprovada no CACD 2016

Uma das iniciativas do Curso Sapientia que mais agradou os alunos no ano passado foi a promoção de Papo Sapiente com os aprovados no CACD 2016. E para continuar auxiliando da melhor forma possível na preparação dos candidatos ao Instituto Rio Branco, esse projeto vai ter mais uma edição. Então se você estava precisando de uma motivação para retomar os estudos com força total em 2017, essa pode ser a sua chance!

O Curso Sapientia vai promover um Papo Sapiente com Marianna Goulart, ex-aluna do Sapientia e diplomata aprovada no concurso de 2016. Nesse bate-papo, ela vai contar um pouco da sua trajetória até o Instituto Rio Branco, compartilhando estratégias e informações que podem ajudar você a chegar lá mais rápido e motivar a sua trajetória. Nada mais motivador do que ver o resultado de quem passou pelo mesmo processo que você está passando.

Mas CORRA! O Papo Sapiente com a Marianna Goulart acontece HOJE, às 20h! Para quem não conhece o modelo, o Papo Sapiente é um evento on-line, ao vivo e 100% gratuito. Você pode interagir com a entrevistada, enviando suas dúvidas para serem respondidas na hora. A princípio não haverá reprise, então marque o horário na sua agenda.

Não perca essa chance! É uma excelente oportunidade para ouvir dicas importantes para a preparação e se motivar ainda mais. Clique na imagem abaixo e faça a sua inscrição!

arte 08_03_ sapientia mari.jpg

[3 Perguntas] Atualidades: Integração Regional

A prova de Política Internacional do CACD tem apostado cada vez mais em temas relacionados a atualidades das relações internacionais. Acompanhar os principais acontecimentos mundiais, especialmente os que envolvem o Brasil, é aspecto fundamental de uma preparação consistente para o concurso.

Pensando nisso, o blog Sapi trouxe hoje um vídeo com 3 Perguntas sobre acontecimentos recentes no entorno regional. O diplomata e professor Leonardo Rocha Bento comentou a visita do Presidente Macri ao Brasil no último mês, as perspectivas para o MERCOSUL e os principais avanços na UNASUL e na CELAC. Confira!

1) Quais foram os principais resultados e temas da visita do Presidente Macri ao Brasil?

2) O que esperar para o MERCOSUL em 2017?

3) O que aconteceu recentemente na UNASUL e na CELAC?

Temos um novo chanceler: Aloysio Nunes

aloysio-nunesApós o pedido de demissão de José Serra do cargo de Ministro das Relações Exteriores, no dia 22 de fevereiro, alegando “motivos de saúde”, diversos nomes ligados ao governo Temer foram cogitados para assumir a pasta. As previsões iniciais foram confirmadas ontem com o anúncio oficial da nomeação de Aloysio Nunes Ferreira para o cargo. O senador de São Paulo, também filiado ao PSDB, era o nome mais cotado para assumir o ministério, visto que mantém boas relações com o atual presidente, tendo sido escolhido por Temer para ser líder do governo no Senado, em maio de 2016, enquanto ainda atuava como presidente interino.

Apesar de ser um político menos conhecido do que Serra, Aloysio tem extenso currículo na política brasileira. Devido à sua participação em oposição ao regime militar, viveu exilado na França entre 1968 e 1979. Com a promulgação da Lei da Anistia, retornou ao Brasil e retomou a atividade política, inicialmente filiado ao PMDB, depois passando para o PSDB. Sua carreira política é diversificada, tendo atuado tanto no Legislativo quanto no Executivo nas esferas federal e estadual. Representando o estado de São Paulo, foi deputado estadual (1983-1991), deputado federal (1995-2007), vice-governador (1991-1995) e senador (2011-atual). Durante o governo Fernando Henrique Cardoso, atuou como ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República e como ministro da Justiça. Nas eleições de 2014, foi candidato a vice-presidência ao lado de Aécio Neves.

A afinidade do parlamentar com as relações externas brasileiras pode ser vista na própria atuação dentro do Senado Federal. Atuou como presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado e é membro de oito grupos parlamentares, criados com o propósito de fortalecer as relações interparlamentares entre países. Aloysio Nunes faz parte dos grupos para Argentina, China, Dinamarca, Espanha, Irlanda, Noruega e Sérvia e já participou como parlamentar de diversas missões oficiais do governo brasileiro, tendo visitado países importantes para a política externa do país, como China, França, Rússia, México e Estados Unidos.

Uma importante contribuição do senador para as relações exteriores é o seu projeto para a nova Lei de Migração, que visa substituir o Estatuto do Estrangeiro, de 1980, ainda em vigor e alvo de diversas críticas por não estar em consonância com as obrigações assumidas pelo Brasil desde então. Quando foi criado, o Estatuto do Estrangeiro utilizava o “interesse nacional” como fundamento do tratamento do tema da condição jurídica do estrangeiro, o que tinha ligação com o período histórico em que se inseria. O projeto atual passa a ter como referência principal a dignidade humana, fazendo com que se adeque tanto ao texto constitucional de 1988 quanto aos tratados internacionais aderidos pelo Brasil. Dessa forma, o projeto de lei define diretrizes para as políticas voltadas para os estrangeiros pautadas pelos direitos humanos e a não criminalização da imigração. Outras questões abordadas pelo projeto envolvem a proteção do brasileiro no exterior, a consolidação do visto humanitário (emitido de forma excepcional atualmente), a proteção das vítimas do tráfico de pessoas, entre outros. O projeto foi aprovado no Senado e na Câmara, porém com alterações, e está aguardando nova votação no Senado para ser sancionado.

Em um vídeo divulgado em sua rede social, aceitando a nomeação para o cargo, o novo ministro sinalizou algumas diretrizes que podem ser esperadas durante seu comando da chancelaria brasileira. As linhas gerais abordadas indicam que ele deve manter a política externa do seu antecessor, ao destacar a possível “grande contribuição” da política externa na “na área econômica, no comércio internacional e em investimentos.” Ele também manteve o discurso de revitalização do Mercosul, afirmando que deseja dar “uma nova vida” ao bloco regional, aproximando-se dos países da Aliança do Pacífico e mantendo os esforços na negociação com a União Europeia. Aloysio Nunes ressaltou a influência do país na política internacional e as diretrizes tradicionais da política externa brasileira, como a defesa da paz, da justiça, do meio ambiente e dos direitos humanos.

 

Défi de Français: les réponses

Salut les gens! Pour ceux qui ont fait l’activité, voici les réponses.

À la prochaine !

Complétez les phrases suivantes avec un pronom relatif invariable.

1. Il y a une question que je voudrais poser.
2. Il a eu un accident sérieux dont il voudrait vous parler.
3. Ce sont des personnes qui connaissent bien le livre que vous étudiez dont la couverture représente un tableau de Picasso.
4.Cet individu dont la présence nous gêne s’appelle Jean.
5. Ils ont acheté une voiture dont la vitesse atteint 20hm/h.
6. Est-ce que tu sais où est le magazine que j’ai acheté hier.
7. La personne qui m’a contacté hier était intéressée par mon CV.
8. Voici Pierre dont vous m’avez tant parlé.
9. Le garçon qui m’a servi un café est très beau.
10. J’ai vu un oiseau dont les ailes sont bleues.

 

Défi de Français: Pronoms Relatifs Invariables

Bonjour à toutes et à tous! Le défi d’aujourd’hui porte sur l’emploi du pronoms relatifs invariables “qui”, “que” ou “dont”. Testez vos connaissances!

Complétez les phrases suivantes avec un pronom relatif invariable.

1. Il y a une question _____ je voudrais poser.
2. Il a eu un accident sérieux _____ il voudrait vou parler.
3. Ce sont des personnes _____ connaissent bien le livre _____ vous étudiez ____ la couverture représente un tableau de Picasso.
4.Cet individu ____ présence nous gêne s’appelle Jean.
5. Ils ont acheté une voiture _____ vitesse atteint 20hm/h.
6. Est-ce que tu sais où est le magazine _____ j’ai acheté hier
7. La personne ____ m’a contacté hier était intéressée par mon CV.
8. Voici Pierre _____ vous m’avez tant parlé.
9. Le garçon _____ m’a servi un café est très beau
10. J’ai vu un oiseau _____ les ailes sont bleues.

O Telegrama Zimmermann

zimmermann“Nenhuma outra criptoanálise teve consequências tão profundas. Nunca antes, ou desde então, tanto foi transformado a partir da solução de uma mensagem secreta.” É assim que o historiador David Khan descreve a importância do Telegrama Zimmermann, de 1917. Enviado pelo Ministério das Relações Exteriores da Alemanha em meio à 1a Guerra Mundial, a comunicação secreta foi importante para convencer a opinião pública americana a apoiar a entrada dos Estados Unidos no conflito mundial.

No decorrer da 1a Guerra Mundial, o governo norte-americano manteve uma posição de neutralidade em relação ao conflito, condizente com o isolacionismo que defendia na sua política externa. Isso não impediu, contudo, que o país lucrasse com a guerra, já que teve sua economia fortalecida a partir do aumento da demanda de bens e de crédito por parte dos seus tradicionais aliados europeus, em especial Inglaterra e França. Apesar de não ter declarado guerra às potências centrais, o Estados Unidos tinha bastante interesse no desenvolver do conflito por causa desses interesses econômicos, porém a opinião pública norte-americana era extremamente contrária ao envolvimento real do país na guerra na Europa. Isso muda com a publicação do Telegrama Zimmerman.

Em 19 de janeiro de 1917, o Ministro de Relações Exteriores alemão, Arthur Zimmermann, enviou um telegrama secreto criptografado para o embaixador alemão no México, Heinrich von Eckardt. Acreditando que a retomada da “guerra submarina irrestrita” pelos alemães iria levar os Estados Unidos a declara guerra contra a Alemanha, Zimmermann instruiu o embaixador a oferecer uma aliança com o México e a instigar um conflito contra a vizinho do norte. “No documento, a Alemanha se comprometia a ajudar o país latino-americano a conquistar territórios dos Estados Unidos (especificamente Arizona, Novo México e Texas) em troca do apoio mexicano à causa alemã.

O principal objetivo da Alemanha ao envolver o México era utilizar um conflito no continente americano como forma de dificultar o comércio transatlântico entre Estados Unidos e as potências europeias e, assim, facilitar a vitória alemã no front ocidental. Apesar das profícuas relações atuais, o relacionamento bilateral entre EUA e México em meados da década de 1910 não era tão amistoso. A invasão e ocupação do porto de Vera Cruz pelos americanos, em 1914, durante o processo revolucionário mexicano ainda estava viva na lembrança dos mexicanos, assim como a ruptura de relações diplomáticas entre esses (formalmente ainda em vigor) e a perda de território no século anterior. Além disso, os Estados Unidos não exerciam a influência que exercem hoje no vizinho. O México era muito mais influenciado pelo capital europeu, incluindo o da Alemanha. O governo alemão chegou a ameaçar invadir o porto de Vera Cruz após a tomada pelos Estados Unidos.

O telegrama Zimmermann foi decifrado pela inteligência britânica, que interceptou a mensagem codificada enquanto transitava pelos canais diplomáticos americanos. Isso porque a Alemanha, que tinha comunicação restrita por causa do conflito, utilizava países neutros (como era o caso dos Estados Unidos) para auxiliar na troca de informações. Ao interceptar e decifrar a mensagem, os britânicos tinham a informação que precisavam para finalmente atrair os americanos para o conflito, porém atrasaram na entrega da informação de forma a proteger sua agência de inteligência.

O conteúdo do telegrama foi publicado em 1o de março de 1917, gerando, inicialmente, ceticismo por parte da população americana, que imaginou ser uma forma do governo manipula-los a aceitar a entrada do país no conflito. A confirmação do próprio ministro alemão, entretanto, fez com que a opinião pública passasse a aceitar a sua veracidade. O sentimento anti-alemão, que já existia desde antes do incidente devido ao constante torpedeamento da Marinha Mercante americana por submarinos alemães, foi inflamado com a descoberta dos planos do país europeu, levando à declaração de guerra um mês depois da publicação do telegrama (em 6 de abril de 1917).

O telegrama Zimmermann foi peça importante para a entrada dos Estados Unidos no conflito ao impactar a opinião pública americana, porém foi apenas uma das motivações pontuais para a entrada do país na guerra. A ameaça aos interesses econômicos dos Estados Unidos, tanto por meio dos torpedeamentos de navios comerciais quanto pela dívida dos países europeus, também motivou o governo norte-americano. Como pano de fundo a essas questões, havia o interesse em garantir que a resolução do conflito ocorresse de forma a criar um equilíbrio favorável aos interesses americanos: a entrada na guerra se dá em um momento crescente necessidade de defesa dos parceiros históricos frente ao fortalecimento alemão após a saída da Rússia do conflito.

Todd’s Challenge: Answer key

We are back with a model translation for yesterday’s challenge. Are you ready to check your progress? Take a look!

(If you missed the challenge, you can check it out here)

Translate the following text into Portuguese.

In that world there are no simple formulae for predicting or managing national behaviour. It is not a world in which one power – America – is dominant, though it remains the single most influential and capable country on a global scale, even after its debacle in Iraq. Nor is it a world, on his account, in which just three “empires” hold sway in any sort of triangular balance. It is a world in which many countries and their ruling elites are jostling for position and advantage, some of them keen to prove that today’s assumptions about influence and status can well be overturned. If there is a broad trend to be discerned in recent years, it is the revival of autocracy as a sometimes effective and even legitimate form of government. If there is a neat dividing line, it is the line between the democracies and autocracies. But using that line in the operation of foreign policy is no easier now than it has ever been. One thing that both authors do agree on is that the dream of a simple, safe world has gone for good.

Follow these easy steps to success in the translation sections:

1. Read the text one time through, making no marks, and determine what style of language is being used.
Style/Category: Book Review

2. Determine what the text’s overall theme is.
Theme/Language: Academic / Journalistic / book review & critique

3. Read the text a second time through and highlight all “lexical chunks”, that is, all groups of words that would produce one single meaning.
hold sway” – to have authority/power; to be in control

In that world there are no simple formulae for predicting or managing national behaviour. It is not a world in which one power – America – is dominant, though it remains the single most influential and capable country on a global scale, even after its debacle in Iraq. Nor is it a world, on his account, in which just three “empires” hold sway in any sort of triangular balance. It is a world in which many countries and their ruling elites are jostling for position and advantage, some of them keen to prove that today’s assumptions about influence and status can well be overturned. If there is a broad trend to be discerned in recent years, it is the revival of autocracy as a sometimes effective and even legitimate form of government. If there is a neat dividing line, it is the line between the democracies and autocracies. But using that line in the operation of foreign policy is no easier now than it has ever been. One thing that both authors do agree on is that the dream of a simple, safe world has gone for good.

4. Translate the text, paying close attention to the following points:
Direct translation: translate word for word without paying attention to groups of words with a single meaning
False Cognates: same word in the other language, but with a different meaning
Portuguese imposition upon English
Grammar: verb tenses, prepositions, word order, word form/spelling

5. Compare your result to the model translation in the answer key to see if you avoided these pitfalls.

Draft: Naquele mundo, não há formulas simples de prever ou gerenciar/administrar o comportamento nacional. Não é/representa um mundo no qual uma potência – Os Estados Unidos – é dominante, apesar do fato dele permanecer como o país mais influente e capaz mundialmente/em escala global, mesmo depois do/após o seu desastre/fracasso/derrocada/fiasco no Iraque. De acordo com ele, tampouco é um mundo no qual apenas três “impérios” mantêm suas posições em um tipo de equilíbrio/balanço/balanceamento triangular. É um mundo no qual muitos países e suas elites dominantes estão competindo/batalhando por / disputando / engalfinhando posições e vantagens, algumas das quais estão ansiosas/afoitas de provar que as atuais presunções sobre a influência e o status podem e serão/podem muito bem ser derrubados/subvertidos. Se há uma ampla tendência a ser reconhecida/compreendida/discernida nos últimos anos, seria/é o ressurgimento [do conceito] da autocracia como uma forma de governo/governar, às vezes eficiente e até legítima. Se há uma nítida linha divisória, seria/é a linha entre as democracias e as autocracias. Entretanto, usar essa linha na condução de política externa é mais difícil do que nunca. Uma coisa que ambos os autores concordam é que o sonho de um mundo simples e seguro acabou-se de uma vez por todas/para sempre.

MODEL TRANSLATION

Naquele mundo, não há formulas simples de prever ou gerenciar o comportamento nacional. Não é um mundo no qual uma potência – Os Estados Unidos – é dominante, apesar do fato dele permanecer como o país mais influente e capaz em escala global, mesmo após o seu fracasso no Iraque. De acordo com ele, tampouco é um mundo no qual apenas três “impérios” mantêm suas posições em um tipo de equilíbrio triangular. É um mundo no qual muitos países e suas elites dominantes estão disputando posições e vantagens, algumas das quais estão afoitas para provar que as atuais presunções sobre a influência e o status podem muito bem ser derrubados. Se há uma ampla tendência a ser reconhecida nos últimos anos, é o ressurgimento [do conceito] da autocracia como uma forma de governar, às vezes eficiente e até legítima. Se há uma nítida linha divisória, é a linha entre as democracias e as autocracias. Entretanto, usar essa linha na condução de política externa é mais difícil do que nunca. Uma coisa que ambos os autores concordam é que o sonho de um mundo simples e seguro acabou-se de uma vez por todas.

Todd’s Challenge: Portuguese Translation

Hello, hello! So, here is yet another of my Blog Challenges. This time we will focus on the Portuguese translation and strategies. Put on your thinking caps and see how close you can come to my model translation!

Good luck!

(You can check the answer key for this challenge here)

Translate the following text into Portuguese.

In that world there are no simple formulae for predicting or managing national behaviour. It is not a world in which one power – America – is dominant, though it remains the single most influential and capable country on a global scale, even after its debacle in Iraq. Nor is it a world, on his account, in which just three “empires” hold sway in any sort of triangular balance. It is a world in which many countries and their ruling elites are jostling for position and advantage, some of them keen to prove that today’s assumptions about influence and status can well be overturned. If there is a broad trend to be discerned in recent years, it is the revival of autocracy as a sometimes effective and even legitimate form of government. If there is a neat dividing line, it is the line between the democracies and autocracies. But using that line in the operation of foreign policy is no easier now than it has ever been. One thing that both authors do agree on is that the dream of a simple, safe world has gone for good.

Follow these easy steps to success in the translation sections:

1. Read the text one time through, making no marks, and determine what style of language is being used.
Style/Category:

2. Determine what the text’s overall theme is.
Theme/Language:

3. Read the text a second time through and highlight all “lexical chunks”, that is, all groups of words that would produce one single meaning.
hold sway” – to have authority/power; to be in control

4. Translate the text, paying close attention to the following points:
Direct translation: translate word for word without paying attention to groups of words with a single meaning
False Cognates: same word in the other language, but with a different meaning
Portuguese imposition upon English
Grammar: verb tenses, prepositions, word order, word form/spelling

5. Compare your result to the model translation in the answer key to see if you avoided these pitfalls.

3 Perguntas: Ciclo do Café

A formação econômica brasileira não é só um tópico fundamental para a prova de Economia do CACD, mas também um importante elo de ligação entre diferentes disciplinas, podendo auxiliar no aprendizado de História do Brasil ou de Política Internacional, por exemplo. Dentro da evolução da economia brasileira, um tema com importantes ramificações é o Ciclo do Café durante a Primeira República.

Além de ser um tema muito muito importante para a prova, o processo comercial desse período é complexo, envolvendo fatores não só econômicos, como políticos e diplomáticos. Para auxiliar na compreensão desse sistema econômico, o professor de Economia Bernardo Nunes respondeu 3 Perguntas sobre aspectos econômicos desse período. Confira!