Fases avançadas do CACD: Significado e Importância

fases-avancadas-do-cacd-significado-e-importancia

As duas fases avançadas do CACD se diferenciam da primeira em três aspectos principais, e compreendê-los é importante se você quer se tornar um candidato competitivo no certame.

O modelo discursivo das fases avançadas (nesse artigo, nossa análise exclui a prova de francês e espanhol, que poderá ser analisada em post futuro) apresenta três desafios em relação ao modelo objetivo da primeira. Esses desafios são, também, janelas de oportunidade para que o candidato os transforme em vantagem comparativa. Vejamos:

1. Postura diante da banca: viés ativo x viés passivo

151

O recém-aprovado no TPS acaba de sair de uma maratona de treino para uma prova objetiva quando tem que virar completamente a chave do pensamento para o modelo discursivo.

Se, no TPS, você se portava passivamente diante da banca, tendo de escolher entre apenas três reações (responder C, E ou branco) para algo que te era apresentado já pronto e acabado, agora é a banca quem está passiva pra você: ela te propõe um enunciado, te oferece duas ou três páginas inteirinhas em branco, e depois reage àquilo que você propõe, pronto e acabado, a ela.

Nas 45, 60 ou 90 linhas das questões discursivas cabem centenas de caminhos. Agora você pode (e deve) infinitamente mais que apenas C, E ou Branco: quem conduz o raciocínio e se apresenta pra banca é você. Isso, que talvez seja a grande beleza das fases avançadas, fica claro com uma observação cuidadosa de qualquer guia de estudos: todos os aprovados sobem a mesma montanha, mas cada um o faz por um caminho diferente e com um método específico – e, no fim do dia, todos fincam a bandeira no mesmo cume.

Aquele candidato, portanto, que vira mais rapidamente a chave do raciocínio entre as fases e faz uso pragmático das oportunidades abertas se dá bem. Como no CACD, contudo, nada é tão simples, há que se tomar alguns cuidados.

O primeiro é não achar que a diversidade de possibilidades de resposta significa poder responder qualquer coisa. A fidelidade ao enunciado ainda é elemento diferencial entre aprovados e reprovados – você pode responder ao enunciado X usando raciocínios diversos, referências múltiplas e argumentos variados, mas você não pode usar tudo isso pra responder Y ao invés de X.

O “excesso de liberdade” trazido pelas fases avançadas deve ser usado por você de forma pragmática de modo a criar vantagens, não ser mais um obstáculo à sua aprovação.

O segundo perigo do viés ativo está no famigerado “enganar a banca”. Muitos candidatos confundem a passividade da banca com uma certa ingenuidade (pra não usar termos mais fortes) dos corretores. A margem de manobra das fases avançadas te permite desenvolver raciocínios complexos, dialogar com outros conteúdos e demonstrar profundidade de conhecimento acerca do assunto pedido. Não te permite, contudo, usar toda essa fonte de recursos para disfarçar uma resposta vazia em conteúdo.

Lembre-se: a forma deve ser usada em favor do conteúdo, não em substituição a ele.

2. Oportunidade de diferenciação

be_different_pa

No TPS, candidatos são separados entre aqueles que acertaram e aqueles que erraram determinada questão. Não há diferença nenhuma entre você que gabaritou determinado item e todas as outras centenas de candidatos que também o fizeram. Trezentas e poucas pessoas separam o aprovado em primeiro do aprovado em último no TPS – e apenas elas. A diferença efetiva, em termos de classificação final, entre esses dois candidatos é nenhuma.

Nas fases discursivas, as correções são influenciadas pelo aspecto relativo. Se, no TPS, você e seu colega ganhavam 0,25 por acertar uma questão, agora vocês dois podem acertar a mesma resposta e um obter 15/30 e o outro 30/30. A ideia não mais é responder certo, mas é responder mais certo que o seu concorrente.

Por isso, cada milímetro das linhas de resposta vale muito, cada minuto a mais na sala de prova é diferencial: use a folha de respostas para demonstrar todo o seu conhecimento, toda a sua capacidade argumentativa e toda a complexidade do seu pensamento.

Use e abuse da interdisciplinariedade, insira com maestria aquele detalhezinho de canto de página que seu concorrente não se lembra e você sim, mostre como sua escrita é elegante e como você possui boas ideias.

Os candidatos à diplomacia geralmente são pessoas com vasto conhecimento geral e alta capacidade intelectual. Novamente, uma rápida olhada em qualquer guia de estudos comprova que todos os aprovados fizeram uso da oportunidade de diferenciação relativa para obter vantagens. O lado ruim desse aspecto é a elevação geral dos níveis de resposta.

Muitos candidatos bem-preparados com respostas excelentes apresentam padrões elevadíssimos para as bancas que, ano após ano, intensificam seu nível de exigência. Isso é o que faz aquele candidato calouro ler um guia de estudos e ficar totalmente desolado, tendo certeza absoluta de que jamais conseguirá fazer algo parecido com o que está ali. A boa notícia, no entanto, é que é possível, sim: diria, sem medo de errar, que 30 dos meus 30 colegas de turma no Rio Branco tiveram essa sensação na primeira vez que leram um guia – e, voilà, hoje são os nomes deles que estampam o Texugo Melívoro.

3. Peso equivalente das matérias

plate-spinning-routine-o

Você pode passar na primeira fase do CACD zerando economia, desde que vá super bem em português, por exemplo. Nas fases avançadas, não dá pra se dar a esse luxo: à exceção de PI e GEO, que valem 50 pontos cada, todas as disciplinas valem 100 pontos – Português, Inglês, História do Brasil, Direito e Economia.

Além de tornar mais isonômico o concurso, atenuando o risco de  beneficiar aqueles que têm mais facilidade em uma matéria do que em outra, esse aspecto é vantajoso para o candidato que percebe uma coisa muito simples: os 100 pontos de economia são os mesmos 100 pontos de português – que, por sua vez, são os mesmos 100 de HB, os mesmos de inglês…

Algumas bancas são tradicionalmente mais “mãezonas” que outras. Os famosos gráficos do DataLascala que circulam nos grupos dedicados ao concurso nos momentos de pós-prova mostram, por exemplo, que a diferença de notas entre aprovados e reprovados em Direito ou Economia não é tão grande quanto em Inglês ou em HB, por exemplo. Alguns candidatos, portanto, sobretudo aqueles que já passaram pelas fases avançadas antes, se voltam para os estudos das matérias que diferenciam mais, já que “todo mundo vai bem em DIP mesmo”.

Não há problema nenhum em priorizar disciplinas conforme a sua estratégia, mas não se deve, em absoluto, negligenciar aquelas cujas médias costumam ser mais elevadas. O concurso chegou a um nível de competitividade tão elevado que é preciso ser muito bom em todas as matérias, e, para sê-lo, é crucial estudar intensamente todos os conteúdos.

É verdade que se dedicar muito àquela matéria em que as notas se diferenciam bastante pode te garantir 40 pontos a mais que seu concorrente e que se dedicar muito àquela em que as notas são mais uniformes pode te dar, no máximo, uns 15 pontos de vantagem.

Só quero te lembrar, contudo, que esses podem ser os mesmos 15 pontos que separam o primeiro colocado do primeiro excedente na classificação final.

Marianna Bruck Goulart é diplomata e ex-aluna do Curso Sapientia.

Anúncios

Por dentro do MRE: Semana 2 / Julho 2015

11703196_587306711407199_8000824133568497324_n

 

Olá, Sapientes! Como estão?

O destaque desta semana é, definitivamente, a Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul, bem como as reuniões paralelas, que aconteceram em Brasília, entre os dias 14 e 17 de julho de 2015.

Precisamos encontrar novos caminhos para a inserção competitiva de nossas economias nas cadeias de valor, ampliando a presença do Mercosul no mundo – Dilma Rousseff, 48o Cúpula do Mercosul

Bons estudos!

Julho / 2015

Terça

Quarta Quinta

Sexta

14 15 16

17

18ª edição da Cúpula Social do MERCOSUL. Realizada semestralmente desde 2006, a Cúpula Social do MERCOSUL é um espaço de diálogo e representação para a sociedade civil dos países do bloco. XLVIII Cúpula dos Chefes de Estado do MERCOSUL e Estados Associados e XLVIII Reunião do Conselho do Mercado Comum.

Saiba mais no sítio do Itamaraty.

 

Artigo: Presidência do Brasil foi “extremamente positiva” para o Mercosul, avalia embaixador da Argentina

 

Artigo [Blog Diplomacia Pública]: A Presidência Pro Tempore Brasileira do Mercosul no Primeiro Semestre de 2015

Realizada semestralmente desde 2006, a Cúpula Social do MERCOSUL é um espaço de diálogo e representação para a sociedade civil dos países do bloco.

 

Temas:

1. desafios à integração do MERCOSUL e a institucionalização do processo de integração, com o aprofundamento do eixo social a partir dos objetivos do Estatuto da Cidadania do MERCOSUL

 

2. mecanismos de execução desses objetivos, a partir dos princípios da Declaração Laboral do MERCOSUL, das diretrizes de Educação e Cultura em Direitos Humanos e da participação e representação política das mulheres

 

3. ampliação da participação das populações no MERCOSUL, com debates a respeito da atuação dos órgãos responsáveis pela expansão da participação política no processo decisório regional, o Parlamento do MERCOSUL e a Unidade de Apoio à Participação Social, assim como o incentivo a participação de movimentos sociais.

 

V Fórum Empresarial do MERCOSUL.

Criado por iniciativa brasileira em 2012, o Fórum Empresarial do MERCOSUL tem o objetivo de fomentar a ampliação de negócios e investimentos na região e promover a integração das cadeias produtivas entre os países.

Reunião do Conselho do Mercado Comum (CMC), que reúne os Chanceleres e os Ministros de Economia e de Indústria dos Estados Partes do MERCOSUL.

 

Ao final da Cúpula, a Presidência Pro Tempore do bloco será transferida para o Paraguai.

 

 

Atos assinados:

1. Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República Cooperativista da Guiana

 

2. Acordo-Quadro de Associação entre o MERCOSUL e a República do Suriname

 

3. Protocolo de Adesão do Estado Plurinacional da Bolívia ao MERCOSUL

 

Saiba mais no sítio do Itamaraty

 

 

Reunião de trabalho entre Brasil e   Argentina.

 

Vale destacar: O Brasil é o principal destino das exportações argentinas e o principal fornecedor de produtos para o país vizinho. Em 2014, o intercâmbio bilateral alcançou a marca de US$ 28,4 bilhões, tendo a Argentina sido o terceiro maior parceiro comercial do Brasil.

Você quer ser diplomata? Comece seus estudos para o CACD agora mesmo!

Veja qual é o curso ideal do Sapientia para você aqui.

Por dentro do MRE: Semana 3 / Junho de 2015

Olá, Sapientes! Como estão?

Já virou tradição! Toda sexta-feira, publicamos a compilação dos principais acontecimentos realizados pelo Ministério das Relações Exteriores.

Clique nos links e saiba mais detalhes sobre os acontecimentos.

Bons estudos!

Imagem: Ministério das Relações Exteriores

Imagem: Ministério das Relações Exteriores

Junho/2015

15 16 17 18

19

Discurso do Secretário-Geral Sérgio Danese por ocasião do XLV Período Ordinário de Sessões da Assembleia Geral da OEA – Washington, 15 e 16 de junho.

Destaque (discurso): “Vivemos uma nova configuração da ordem internacional na qual, após décadas de uma bipolaridade paralisante, o mundo caminha para uma crescente multipolaridade, que constitui uma oportunidade para que os países em desenvolvimento possam ter voz mais ativa.”

Destaque (via Twitter): “Brasil e Espanha são importantes parceiros econômicos. O Brasil possui o 2º maior estoque de investimentos diretos espanhóis no mundo”

Discurso na íntegra: Itamaraty

A Organização dos Estados Americanos, em sua XLV Assembleia-Geral, em 16 de junho, aprovou e abriu para assinatura a Convenção Interamericana sobre os Direitos das Pessoas Idosas. O Brasil foi um dos primeiros signatários da Convenção.

O Brasil foi moderador do evento “Iguais em Direitos”, na sede das Nações Unidas em Genebra. O objetivo da iniciativa foi analisar o combate à discriminação com base em orientação sexual e identidade de gênero, promovendo a discussão do novo relatório do Alto Comissário das ONU sobre o tema.

Relatório: MRE/Facebook

Visita do Ministro de Assuntos Exteriores e Cooperação da Espanha, José Manuel García-Margallo – Brasília, São Paulo e Salvador, 17 a 19 de junho.

Destaque: O Ministro espanhol encontrou o Embaixador Mauro Vieira, no âmbito da II Reunião da Comissão Ministerial de Diálogo Político Brasil-Espanha. Os Ministros trataram de temas da agenda bilateral, como comércio, investimentos e cooperação educacional e científica e tecnológica, bem como de temas regionais e multilaterais de mútuo interesse, como cooperação humanitária e a atuação dos dois países nas operações de paz das Nações Unidas no Haiti e no Líbano.

Saiba mais: Itamaraty

[Blog Diplomacia Pública]: Itamaraty busca promover o comércio e o turismo, atrair investimentos e contribuir para a internacionalização de empresas brasileiras. Publicação em 17 de junho.

Leia o texto na íntegra: Blog MRE

O Ministro Mauro Vieira acompanhou, em 18 de junho, a Pres. Dilma em reunião com membros do IX Fórum Brasil-Estados Unidos de Dirigentes de Empresas.

Nota do Itamaraty, de 19 de junho, sobre a visita da Comissão Externa do Senado à Venezuela

 


Você quer ser diplomata? Comece seus estudos para o CACD agora mesmo!

Veja qual é o curso preparatório ideal do Sapientia para você aqui.

Todd’s challenge: in, on, at

Imagem: Aprenda Inglês Fácil

Imagem: Aprenda Inglês Fácil

Hello, Hello!!

Todd Marshall* is here to challenge you again! 🙂

As we have been studying prepositions in depth, here is another challenge for you – IN / ON / AT!! These are the prepositions that most trip up English language students.

Let’s see if you can get them right! Good luck!

P.S.: The answer key will be available on Monday (June 15th, 2015)!


CHALLENGE: Prepositions IN / ON / AT

IN / ON / AT: In the boxes provided, give either a definition or an example to fit the category:

Screen Shot 2015-06-09 at 4.52.30 PM

Now fill in the blanks with the correct preposition IN / ON / AT:

Screen Shot 2015-06-09 at 4.54.34 PM

MODES OF TRANSPORT: Are you in or on these?

Screen Shot 2015-06-09 at 4.54.39 PM

The Answer Key to this challenge (with explanation!) is available in here.

Do you need help with English?

Matricule-se já!


Screen Shot 2015-04-09 at 12.15.17 PM

Todd Marshall é professor de Inglês do Curso Sapientia. Mais informações sobre Todd e sobre a prova de inglês do CACD, veja este vídeo.

Inscrições abertas: Edital de abertura do processo seletivo para monitor bolsista

Concurso2

Olá, CACDista! Tudo bem?

Você está com dificuldades em financiar seus estudos para o CACD?
Já pensou em participar de atividades que aumentarão o seu desempenho na preparação para o concurso?
Então, este post é para você!

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo de monitor bolsista no Curso Sapientia! Você tem entre os dias 09 e 17 de maio de 2015 para realizar a sua inscrição.

Clique aqui para ler o edital completo.

Veja abaixo alguns detalhes sobre o processo seletivo e sobre a monitoria!

O que é a monitoria do Sapientia?

O monitor será selecionado pela Direção do Curso Sapientia para ganhar uma bolsa de estudos em algum dos cursos do Sapientia, em troca de participação ativa em algumas tarefas, tais como, elaboração cadernos de aula, exercícios, busca de bibliografia, formatação de materiais, dentre outros, sendo que todos os trabalhos serão orientados pela Coordenação Pedagógica. Todas essas atividades contribuem para a preparação do monitor.

Como é o processo de seleção da Bolsa Monitoria?

O processo de seleção divide-se em 3 etapas:

– Etapa I: envio de Currículo

A Etapa I terá início às 10:00 horas do dia 18/05/2015 e poderá ser cumprida até às 12:00 horas do dia 23/05/2015.

A Etapa I consistirá de envio de Currículo em formato PDF.  O currículo deverá conter a qualificação completa do candidato, indicando sua experiência profissional e sua experiência acadêmica.

– Etapa II: Prova Objetiva

A Etapa II terá início com o cumprimento da Etapa I e se estenderá até às 12:00 horas do dia 23/05/2015.

A Etapa II consistirá na realização de uma prova objetiva, com 6 (seis) questões de Língua Portuguesa e 6 (seis) questões de Língua Inglesa. As questões serão do tipo múltipla escolha e do tipo CERTO ou ERRADO.

– Etapa III: Prova Dissertativa

A Etapa III terá início com o cumprimento da Etapa II e se estenderá até às 12:00 horas do dia 23/05/2015.

A Etapa III consistirá na realização de uma prova dissertativa sobre a disciplina que se inscreveu para contratação de Monitoria, cuja resposta deverá ser de no máximo 5.000 (cinco mil) caracteres, contados os espaços.

Quais são as modalidades de Bolsa?

Horas Semanais
Local
Benefícios da Bolsa
10 horas
Home Office
Bolsa integral apenas no módulo da disciplina que o monitor presta monitoria.
Presencial
Bolsa integral no módulo da disciplina que o monitor presta monitoria + 2 módulos à sua escolha no mesmo curso em que o monitor presta a monitoria.
20 horas
Home Office
Bolsa integral no curso completo em que o monitor presta monitoria.
Presencial
Bolsa integral em todos os cursos disponíveis no Curso Sapientia.

Quantas são as vagas e quais são os cursos disponíveis para monitoria?

CURSOS

MÓDULOS

VAGAS

Curso Regular Extensivo
Direito Interno
01
Curso Regular Extensivo
Direito Internacional Público
01
Curso Regular Extensivo
Economia
01
Curso Regular Extensivo
Geografia
01
Curso Regular Extensivo
História do Brasil
01
Curso Regular Extensivo
História Mundial
01
Curso Regular Extensivo
Política Internacional
01
Curso Regular Extensivo
Língua Portuguesa
01
Curso de Resolução de Questões
Direito Interno
01
Curso de Resolução de Questões
Direito Internacional Público
01
Curso de Resolução de Questões
Economia
01
Curso de Resolução de Questões
Geografia
01
Curso de Resolução de Questões
História do Brasil
01
Curso de Resolução de Questões
História Mundial
01
Curso de Resolução de Questões
Política Internacional
01
Curso de Resolução de Questões
Língua Portuguesa
01
Curso Regular de Língua Estrangeira
Inglês, Francês e Espanhol
01

Quando será o resultado final?

A comunicação do resultado final do processo seletivo ocorrerá à partir do dia 25/05/2015, por meio de contato telefônico e/ou envio de e-mail.

Clique aqui e inscreva-se!

Convite do Sapientia: Hangout com a Claudia Simionato, dia 09.05, às 10h30

Cursos2

Olá, CACDistas! O Curso Sapientia está aqui para fazer um convite a vocês:

No sábado, dia 09.05.2015, às 10h30, nós vamos realizar um hangout* EXCLUSIVO com a professora Claudia Simionato. No encontro, que será ao vivo, online e gratuito, a Claudia irá tirar dúvidas sobre as provas de português do CACD (1a e 2a fases) e também contará algumas dicas especiais!

Está interessado? Inscreva-se no link abaixo e participe! http://goo.gl/forms/OM720ZfC4b

Para quem não conhece a prova de português do CACD…

A prova de português costuma apresentar, na 1a fase, 14 questões objetivas. Ir bem nesta matéria, portanto, é essencial para ser aprovado para a 2a fase. Na 2a fase, será testado o conhecimento de português de maneira dissertativa, por meio de resolução de exercícios e de redação, em que o aluno precisa demonstrar português fluente, coerente e com o mínimo de deslizes gramaticais.

Para quem não conhece a professora Claudia Simionato…

Simionato

A professora Claudia prepara candidatos desde 2003. Ela ministra aulas completas e aprofundadas, nos cursos CRE, CRQ e Maratona – Primeira Etapa, sem que a gramática da língua portuguesa pareça um conhecimento inalcançável. Especialista, também, na preparação de candidatos para a segunda fase do concurso, as aulas de redação da professora, nos cursos CRR e Maratona – Segunda Etapa, conduzem os candidatos a um estilo de redação claro, objetivo e, melhor de tudo, perfeito para a prova do CACD. Ela é bacharel em Letras (Português/Espanhol) pela Universidade de São Paulo (USP).

Não deixe para depois, comece a estudar já!

Bônus exclusivos para quem se matricular até dia 10.05! 🙂

Matricule-se já!

* O que é hangout? É uma plataforma de mensagens instantâneas e chat de vídeo desenvolvido pelo Google.

Cursos Regulares Extensivos: Matrículas abertas!

Screen Shot 2015-04-29 at 4.57.29 PM

Olá, CACDista!

Como anda a sua preparação para o CACD? Se você tem interesse em começar os estudos agora ou visa à consolidação do conhecimento que já vem adquirindo para concurso, esta mensagem é para você: 

Os cursos regulares do Sapientia estão com MATRÍCULAS ABERTAS!

São eles:

Curso Regular Extensivo (CRE): base de qualquer preparação. Voltado principalmente para o público iniciante. Também pode ser indicado para alunos de nível intermediário, que necessitem de reforço em alguma disciplina.

Curso de Resolução de Questões (CRQ): aplicação do conteúdo do regular em exercícios objetivos, focando a preparação para a primeira fase do concurso. Fortemente indicado para o público intermediário. Pode ser indicado para alunos iniciantes, desde que estejam cursando paralelamente um curso extensivo.

Curso Regular de Línguas Estrangeiras (CRLE): não basta saber os idiomas para comunicar-se numa viagem: a prova do CACD exige um alto nível de conhecimento das línguas inglesa, francesa e espanhola. Indicado para o público intermediário e avançado, já que os professores do curso pressupõem que o candidato já tenha conhecimento básico consolidado das línguas estrangeiras a serem trabalhadas nas aulas e nos simulados.

Nível de preparação

CRE CRQ CRLE

Iniciante

X X

não indicado

Intermediário X X

X

Avançado não indicado X

X

Se você estiver com alguma dúvida sobre qual é o curso mais indicado para você, clique no link abaixo:

Qual é o curso mais indicado para mim?

Persistindo quaisquer dúvidas, não deixe de entrar em contato conosco. Teremos o maior prazer em ajudar você, futuro diplomata, a traçar o planejamento estratégico da sua preparação.

E para você, que vem nos acompanhando e sabe que os bônus do Sapientia são imperdíveis, o convite é dobrado: TEM NOVA PROMOÇÃO DE BÔNUS PARA QUEM ADQUIRIR OS CURSOS REGULARES!

Para conferir todos os detalhes desta promoção incrível, não deixe de acessar as fichas técnicas do curso no site. Mas corra, a oferta de bônus ficará disponível por tempo LIMITADO.

Matricule-se já!

Dúvidas e Respostas: Estado Islâmico

Imagem: ABC.es

Imagem: ABC.es

O Curso Sapientia acaba de lançar esta nova área no blog, chamada Dúvidas & Respostas. Selecionaremos e publicaremos dúvidas, e suas respectivas respostas, acerca dos assuntos relacionados ao Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (#CACD), como forma de apoio aos estudos, afinal, a dúvida do colega pode ser a sua também!

Você ainda não faz parte do Sapientia? Matricule-se já!

Dúvida:

Aluno Sapiente: Olá, professor! Quais foram, na sua opinião, as principais mudanças na geopolítica mundial após a ascensão do Estado Islâmico? Os maiores afetados seriam a Síria e o Iraque, como parece ser, ou outros países relacionados de maneira menos óbvia ao conflito? Quais grupos teriam se fortalecido/enfraquecido após o fortalecimento de al-Baghdadi?

Resposta:

Professor Guilherme Casarões*: Aponto algumas mudanças geopolíticas após a ascensão do ISIS, pensando especificamente nas questões envolvendo o Oriente Médio:

1) Redefinição das prioridades da comunidade internacional, especialmente dos EUA, na região: até a Primavera Árabe, os holofotes internacionais estavam sobre Israel/Gaza e a questão nuclear do Irã. Entre 2011 e 2013, deu-se grande atenção à guerra civil síria, às transformações políticas no Egito e à expansão de grupos terroristas no norte da África (Mali, Líbia), beneficiados pelo vácuo de poder pós-Kaddafi. De lá para cá, houve a aparente normalização das relações das potências ocidentais com o Irã, o retorno da estabilidade autoritária no Egito (ao menos por ora) e o deslocamento do centro de gravidade da questão síria para a ascensão do fundamentalismo sunita no país. Isso abriu espaço para que o Estado Islâmico se tornasse a principal preocupação na geopolítica médio-oriental – lado a lado com a questão palestina, que é tema perene na agenda.

2) Realinhamento das relações regionais: a Primavera Árabe reduziu a centralidade geopolítica de países como Egito e Síria, que passaram por longas crises domésticas, e possibilitou a emergência de novos centros político-econômicos no xadrez regional, como a Turquia (impulsionada pela política de “potência emergente” de Erdogan), a Arábia Saudita e os Emirados Árabes – todos majoritariamente sunitas. Os três, por razões diferentes, combateram o governo sírio de Assad (alauíta, aliado dos xiitas), jogando seu peso em favor dos “rebeldes” de oposição (majoritariamente sunitas). O problema é que, ao menos de acordo com o discurso oficial, ninguém previa a rápida ascensão do Estado Islâmico, com grande organização, capacidade militar, e potencial de expansão territorial. Agora, portanto, o governo saudita e dos Emirados estão cooperando com os EUA para combater o EI. Com isso, acabam lutando do mesmo lado de Iraque, xiita e rival regional, e do governo Assad. O temor da instabilidade gerada pelo EI também coloca Rússia e China em sintonia com os EUA. Situação semelhante só foi vista no auge da crise nuclear iraniana, em 2010 — o que deixou o Brasil (junto com Turquia) em posição de isolamento. Para complicar ainda mais o jogo regional, alguns políticos e analistas ocidentais acreditam que o Catar esteja financiando o EI como forma de enfraquecer a Arábia Saudita e os Emirados.

3) Redefinição das relações entre terrorismo e islamismo: o terrorismo não-estatal de raízes religiosas (Hamas, Hezbollah, Al-Qaeda em todas suas “vertentes”, Boko Haram), que aninhou grande parte das preocupações internacionais sobretudo no pós-11 de setembro, vai dando espaço para uma espécie de terrorismo islâmico estadocêntrico, em que o grupo fundamentalista (no caso, o EI) tem pretensões territoriais e vem adquirindo uma estrutura estatal, com exército permanente, arrecadação tributária, aparato ideológico, etc. No limite, essa transformação coloca em xeque a própria noção secular sobre a qual se construiu a ideia de Estado moderno e obriga os demais países a repensar os meios de combate ao extremismo religioso, principalmente naquela região.


Screen Shot 2015-04-13 at 3.42.50 PM

* Guilherme Casarões: é professor de Política Internacional do Sapientia. Além disso, é professor da FGV-SP e articulista sobre a Política Externa Brasileira.